Quando se justifica o pedido de Crédito Pessoal

O pedido de Crédito Pessoal só é justificado quando existem casos de força maior onde o único jeito é mesmo recorrer ao empréstimo (situações de urgência, de manutenção ou obras emergenciais). Valeria até a pena quando a contratação fosse apenas quanto precisamos de dinheiro para sanar um problema imediato, uma emergência familiar, uma problema de saúde que demanda dinheiro com custos hospitalares etc.

Mas, o que temos vistos é o “pedido de crédito pessoal” para pagamento de bens, produtos e serviços que nada tem haver com emergências. O crédito tem servido principalmente para pagar de pronto o consumo de vestuário, produtos e artigos domésticos, eletrônicos e de tecnologia.

Embora existam despesas onde não se justifica endividar-se, quem precisa de dinheiro para curtir as férias, comprar um belo presente de casamento para a esposa, dar uma arrumada na mobília da casa, comprar um Ultrabook dos sonhos ou até mesmo aquela televisão de última geração de LED 3D que mal cabe na sala. Quem comete essa loucuras são aquelas pessoas que não conseguem esperar para juntar dinheiro, certamente irão buscar no crédito pessoal os recursos para realizar essas aquisições.

E quando o cidadão não tem crédito na praça para solicitar empréstimos, o que fazer? O cidadão brasileiro não tem o costume de fazer um fundo de emergência para despesas, o mais comum é gastar tudo de ganha e mais um pouco, se surgir um problema ou uma situação que precise de “dinheiro urgente”, uma das únicas alternativas é pedir para um amigo ou familiar mais próximo a quantia necessária.

O crédito pessoal é uma linha de empréstimo utilizado para pagar parcelado de todo tipo de desejo de consumo, de despesas domésticas, pagamentos de contas e faturas de cartão de crédito, principalmente quando os recursos oriundos do salário não são suficiente para honrar todos esses custos.

Tirando a hipótese de fazer o “pedido de crédito pessoal” por situações desnecessárias, existem dezenas de empresas e financeiras que oferecem dinheiro a juros com pagamento parcelado a perder de vista, o “concessão do crédito pessoal” variam entre elas, mas normalmente o sistema tem muitas similaridades.

Ao contrário do que muitos fazem, o candidato ao crédito pessoal deve comparar as taxas de juros, a duração dos empréstimos e os encargos aplicados em cada tipo de operação. É importante que não comprometa mais do que 30% da renda mensal. Escolha o prazo mais curto, mesmo que as parcelas fiquem um pouco mais caras, porém, o empréstimo termina mais rápido e os juros são menores.

Em caso de necessidades reais, uma das alternativa é recorrer ao crédito pessoal, mas lembre-se faça a contratação com responsabilidade e consciência.

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *